Capes aprova mais um Mestrado e três Doutorados para a UFMS

A UFMS acaba de ter mais um curso de Mestrado e três de Doutorado aprovados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoas de Nível Superior (Capes). Para o próximo ano serão abertas vagas para Mestrado e Doutorado em Biotecnologia (Facfan), Doutorado em Farmácia (Facfan) e Doutorado em Ciências da Computação (Facom), todos na Cidade Universitária.

Recentemente, o Campus de Três Lagoas (CPTL) também teve aprovado o Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Enfermagem (PPG-ENF), nível Mestrado Acadêmico, com dez vagas. Com essas aprovações, a UFMS passa a ter agora 45 Programas de Pós-Graduação.

O Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia – área que estuda “o desenvolvimento de organismos geneticamente modificados e sua utilização para fins produtivos” está sendo lançado na Faculdade de Ciências Farmacêuticas, Alimentos e Nutrição (Facfan), com Mestrado e Doutorado.

Até então, a UFMS abria vagas de Doutorado pelo Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia e Biodiversidade, realizado por dez instituições em rede em Associação Ampla.

O programa de Pós-Graduação em Farmácia já oferece Mestrado e agora passará a ter vagas também para o Doutorado. O Programa atua no “envolvimento e capacitação acadêmica e científica de recursos humanos, nos diferentes enfoques, tendo como perspectivas o entendimento do processo saúde-doença das principais enfermidades que acometem a população de nossa região”, entre outras propostas.

A Faculdade de Computação (Facom) irá oferecer agora Doutorado exclusivo, assim como o Mestrado Acadêmico, iniciado em 1999. A Faculdade já ofertava vagas de Doutorado em associação com a Universidade Federal de Goiás (UFG).

Com a aprovação desses programas, em breve os colegiados dos programas respectivos irão se reunir para definir o número de vagas a serem abertas.

“Essas aprovações pela Capes são muito importantes para a Instituição. Como o Doutorado inicia com conceito 4, isso aumentará a média da Pós-Graduação da UFMS. Esperamos ainda novas aprovações de submissões já realizadas”, explica o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação (Propp), Nalvo Franco de Almeida Junior.

Texto: Paula Pimenta