Universo científico é apresentado a alunos do ensino básico

Alunos do ensino básico de todo o país têm a oportunidade de conversar e trocar experiências com pesquisadores por meio do projeto “Por detrás do diploma: a ciência sem estereótipo”.

A iniciativa é parte do Programa Institucional de Extensão Universitária “Vem Pra UFMS” e possui colaboração de integrantes do Grupo Minerva e Grupo Arandú de pesquisa.

O coordenador do projeto e professor do Instituto de Química da UFMS, Ivo Leite Filho, explica que a proposta surgiu para manter o público do ensino fundamental e médio em contato com a Universidade, mesmo a distância. “A importância disso é criar canais diferentes, mais atrativos, mais reais, menos acadêmicos e manter o vínculo com grupos de escolas sem colocar em risco quem tá passando por esse processo, levando em consideração a questão da pandemia”.

Um dos pesquisadores convidados, professor do Instituto de Biociências, Fernando de Carvalho, relata como foi a participação. “Essa é uma experiência fantástica que permite levar a Universidade para diversos outros ambientes, especialmente para os alunos do ensino médio que estão prestes a ingressar na Universidade. Eles trazem questões sobre temas gerais de ciência, mas também dúvidas sobre as formas de ingresso. Então, são questões importantes que a gente discute com os alunos e troca experiências”.

A estudante do Curso de Engenharia Ambiental e bolsista do projeto, Laura Ferri, explica que o conteúdo é gravado e pode ser assistido novamente e explica como participar. “As reuniões serão gravadas e disponibilizadas para os alunos sempre que precisar, outras serão com a presença dos próprios professores do ensino básico, proporcionando intercâmbios escolares. Qualquer aluno do ensino fundamental ou médio pode participar com os colegas e professores, é só entrar em contato com os responsáveis do projeto e manifestar interesse, seja alheio ou em grupo”.

As inscrições podem ser feitas por aqui até 30 de novembro. Os interessados podem escolher entre as modalidades: Intercâmbio entre escolas e Dialogando com o cientista. A primeira reúne de 3 a 4 pesquisadores e até 20 alunos, com um ambiente para tirar dúvidas e interagir em duas horas de bate-papo. Na segunda, uma dupla de bolsistas do projeto media a conversa entre um pesquisador e até 20 participantes.

Cada atividade contém informações sobre a modalidade, formato da reunião e link de acesso, que será válido apenas no horário e data indicados.

Texto: Talita Oliveira