Premiação da 13ª edição da Obmep foi realizada no Teatro Glauce Rocha

Foi realizada hoje, no Teatro Glauce Rocha, a cerimônia de premiação da 13ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep), projeto realizado pelo Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA).

Além de estimular e promover o estudo e contribuir para a melhoria da qualidade da educação básica, um dos objetivos da Obmep é a integração das escolas com universidades públicas e institutos de pesquisa. Na 13ª edição, feita em 2017, mais de 18 milhões de alunos se inscreveram, sendo 16 mil do estado de Mato Grosso do Sul.

O coordenador regional do projeto, Bruno Amaro, explica que as questões das provas são interpretativas e contextualizadas em situações do dia a dia, por a Matemática estar presente no cotidiano. Segundo ele, o termo “olimpíada” se dá pelo esforço que os alunos inscritos necessitam empenhar para a realização das provas. “O nome olimpíada vem bem a calhar, porque não é apenas uma prova. Você tem toda uma preparação, um material e uma dinâmica específica. Os alunos se destacam não apenas por fazer uma prova, mas porque eles conseguem ter um desenvolvimento que ‘abre a cabeça’ e expande a linha de raciocínio”.

A Secretária Municipal de Educação, Elza Fernandes Ortelhado, ressalta os prêmios concedidos aos alunos das escolas em regiões periféricas de Campo Grande. “É notório que entre as nossas escolas premiadas não estão apenas escolas do centro, mas também escolas da periferia e escolas rurais receberão essa medalha, porque tiveram um trabalho significativo”.

Uma das ganhadoras, a estudante do terceiro ano do Ensino Médio da Escola Estadual Amélio de Carvalho Baís, Arisa do Prado, conta que possui o hábito de estudar e que fazia as provas da olimpíada por se identificar com a disciplina Matemática. “No ensino fundamental, toda sexta-feira eu estudava e resolvia questões da própria Obmep. Eu fiquei muito feliz de ganhar, porque não esperava. Eu faço as provas porque acho legal, sempre gostei de matemática, não fiz com a intenção de ganhar”.

O reitor Marcelo Turine participou da cerimônia e declarou o desejo de que os alunos premiados se interessem pela Universidade e decidam se graduar na instituição. “A UFMS está feliz por acolher todos os anos essa confraternização em homenagem aos nossos jovens que ganharam prêmios em Mato Grosso do Sul. Dezesseis mil jovens participaram e é sempre muito bom colocar a Matemática como ferramenta básica para lógica e para o dia a dia na nossa sociedade. Nossa Universidade acolhe esses jovens e espera que um dia eles estudem aqui”.