Reitoria Itinerante visita Faculdade de Odontologia

Ao longo deste semestre, a Administração Central da UFMS vem percorrendo todas as unidades da Cidade Universitária por meio da Reitoria Itinerante. Nesta terça-feira, dia 5, a décima visita foi realizada na Faculdade de Odontologia (Faodo). A ação objetiva fortalecer vínculos e troca de diálogos entre os gestores da Universidade, diretores, professores e técnicos-administrativos.

O curso de Odontologia foi o primeiro a constituir o campus de Campo Grande, juntamente com o de Farmácia, em 1962. Apenas no ano de 2005, que a graduação se tornou Faculdade de Odontologia, dentro da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, que antes era Universidade de Mato Grosso. Atualmente, possui 254 estudantes, 34 docentes e 42 técnicos administrativos. Além disso, semanalmente a faculdade realiza cerca de 250 atendimentos, o que também contribui para o trabalho social, por meio do atendimento à comunidade interna e externa.

De acordo com o reitor, Marcelo Turine, a Reitoria Itinerante colabora para o conhecimento das necessidades e demandas dos cursos, contribuindo posteriormente em melhorias para a graduação e para o atendimento que realizam à população. “Para nós é uma satisfação muito grande, estamos escutando as grandes demandas, os sonhos e avanços. É um orgulho ver a evolução e a questão de termos um atendimento em potencial para atender a sociedade campo-grandense na clínica odontológica”, explicou.

O curso de Odontologia dispõe de materiais que são fundamentais para o exercício do curso, como equipamentos de laboratórios e de pesquisa. O diretor da Faodo, Paulo Zárate, destaca a importância desta ação e lhe caracteriza como uma união de esforços na busca pelo aperfeiçoamento do curso. “A Faodo vê essa visita da Reitoria Itinerante como uma força tarefa da administração central da Universidade, a caminho dos objetivos da nossa instituição. É um prazer receber a reitoria, para que estejamos mais próximos e podermos avançar naquilo que estamos trabalhando”, acrescentou.

O diretor ainda ressalta sobre o investimento que o curso exige. “No momento que vamos para o ambiente clínico, em que o professor precisa acompanhar, supervisionar diretamente o aprendizado, nós também precisamos da proporção do professor diferenciada em relação aos outros cursos. Então isso exige da instituição, muitas demandas, muitos recursos de custeio e investimento, e a instituição tem nos atendido na medida do possível e estamos conseguindo executar o curso de excelente qualidade”.

Para o docente de odontologia, Fábio Nakao, a ação possibilita a aproximação e o contato direto com a administração da Universidade. “A nossa relação com toda a administração central fica muito restrita aos protocolos e a documentação. Recebê-los aqui nos aproxima e mostra para a reitoria essas particularidades que enfrentamos”, comentou.

O estudante do quarto semestre de odontologia, Yuri Gabriel Chamorro, também enfatizou sobre o diálogo e a importância de se ouvir várias opiniões. “Eu acho importante porque a gente precisa avaliar sempre a importância do curso e atuação dele na faculdade, como um todo. A gente precisa da opinião dos outros, não só dos professores, como dos alunos”.

Texto: Mara Machado (estagiária de Jornalismo)

Fotos: Leandro Benites