Reitor se reúne com estudantes intercambistas da Universidade de Washington

A Faculdade de Direito (Fadir) e a Universidade de Washington (UW) possuem uma parceria de intercâmbio cultural entre os alunos. Na segunda-feira, o reitor Marcelo Turine recebeu os acadêmicos estadunidenses e os professores responsáveis para apresentação do acordo de cooperação entre as instituições.

“Um dos eixos estratégicos para desenvolvimento da educação e da ciência é a internacionalização, e acordos de cooperação como os que nós estamos estruturando com a Universidade de Washington são superimportantes para a formação dos nossos estudantes e pesquisadores”, afirma o reitor.

Segundo a professora da UW, Margaret Griesse, o Brasil e Mato Grosso do Sul são ainda muito desconhecidos e isso dá um leque de oportunidades aos estudantes. “Brasil é um grande segredo, pessoas nos Estados Unidos não tem muitas informações sobre o Brasil e muito menos Mato Grosso do Sul. Quando se fala de biodiversidade, se pensa na Amazônia, quando se fala de grupos ou movimentos sociais, se pensa em São Paulo. Mas aqui se tem biodiversidade e diferentes movimentos sociais. Tem muita coisa aqui para aprender e levar para casa”.

O professor da Fadir, José Paulo Gutierrez, está à frente do projeto desde o início, há cinco anos. “A importância desse intercâmbio para os alunos é por ser um intercâmbio cultural. Nossos estudantes ficam em casas de famílias, discutem áreas temáticas em Direitos Humanos e também na interseccionalidade entre raça, gênero e classe. A mobilidade é uma das forças desse intercâmbio. É um ganho cultural, da língua e de enriquecimento de currículo, ao fazer disciplinas numa instituição americana”, afirma.

Texto: Leticia Bueno