Famez incentiva “rede de afeto” e bem-estar

“Um dos principais problemas da Medicina Veterinária é que eles experimentam muitos episódios de perda. Eles enxergam animais nascendo e morrendo o tempo todo, fora outros fatores, às vezes alguns acadêmicos escolhem trabalhar com animais para evitar contato com humanos”, explica o técnico de assuntos educacionais Thiago Almeida, um dos palestrantes na semana sobre saúde mental da Famez (Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia).

O evento vai até sexta, dia 10, e tem a presença dos acadêmicos ligados aos diversos grupos de apoio existentes na Universidade. Um deles, o Céu (Comunidade de Estudantes Universitários), agora terá encontros fixos na sede da Famez, com a participação de um psiquiatra.

A acadêmica de Medicina Veterinária Gabriela Alencar faz parte do grupo e afirma que a iniciativa busca trazer discussões qualificadas e criar uma rede de afeto. “Foi uma necessidade que vimos com esse objetivo de acolher, de se fortalecer, de trazer para os acadêmicos essa visão de que não estamos sós e de que devemos procurar saber mais sobre o assunto. A gente conseguiu a participação de um psiquiatra, uma vez por mês ele vai estar com a gente”, conta.

A semana conta com ações culturais e teóricas, como palestras, rodas de meditação, yoga e até constelação familiar. Para uma das organizadoras da atividade, a professora Juliana Galhardo, também há a troca de conhecimento com profissionais de fora da Universidade que já trabalham com a saúde mental. “A gente já teve imposição de mãos, biodança, energia, meditação, então é um conjunto de ações para bem-estar e para discutir saúde mental também”.

Eu Respeito!

UFMS, a nossa Universidade

Texto e fotos:  Natália Moraes (Rádio Educativa UFMS 99.9)