Congresso sobre Direito e Tecnologia inicia com conferência sobre inteligência artificial

Ontem, 19, foi realizada a abertura do 1º Congresso Interinstitucional de Diálogos entre Direito e Tecnologia – impactos da Covid-19 no uso de tecnologias no Direito e Educação.

“Escolher este tema foi simplesmente óbvio, foi necessário”, declarou a professora Heloisa Portugal, membro da comissão organizadora, em seu discurso inicial. “Nós não podemos falar em voltar ao que éramos [antes da pandemia] e assim estamos diante desta crise que não é somente de saúde, mas da humanidade. A humanidade está diante de desafios em que se pergunta o que fazer de agora para frente e o que fazer com o poder que temos com os dados e tecnologias”, disse.

A mesa de autoridades contou com a presença de membros da Universidade de Marília, da Ordem dos Advogados do Brasil, do Instituto de Direitos Humanos de Mato Grosso do Sul e dos coordenadores dos cursos de Direito, Sistemas de Informação e Pedagogia do Campus de Três Lagoas, além do reitor da UFMS, Marcelo Turine.

“Quase mil profissionais inscritos, para nós é uma alegria realizar um evento de extrema importância para a atualidade mundial e totalmente on-line”, declarou Turine. “Como a própria professora Heloisa falou, o evento começou pequeno, um debate, e foi trazendo novos parceiros e para nós é um orgulho muito grande que esses parceiros nos fortaleçam e fortaleçam a gestão do conhecimento, da ciência e da tecnologia no Mato Grosso do Sul e no Brasil”.

O reitor também ressaltou a importância do tema do evento, que está em consonância com o Mês do Conhecimento, celebrado em outubro em instituições de ensino de todo o país.

Logo após a solenidade de abertura, Felipe Calderón Valencia, professor da Universidade de Medellín, na Colômbia, ministrou a conferência “Inteligência Artificial e os desafios humanos”.

“O que tem a ver a inteligência artifical com os Direitos Humanos? A gente pode falar um monte de coisas, mas acho que o principal agora é que a inteligência artificial pode ser uma ferramenta muito importante para desenvolvimento de algumas tarefas simples que podem fazer a vida dos seres humanos mais simples”, afirmou o palestrante.

Ao longo da conferência ele abordou um panorama geral sobre a inteligência artificial e o controle constitucional, avaliou a necessidade de utilizá-la nos tribunais, apresentou estudo de caso ocorrido na Colômbia e fez suas críticas sobre o tema. Clique aqui para assistir a transmissão do evento.

Texto: Leticia Bueno