UFMS tem projeto de esporte e lazer de R$2.981.040 aprovado pelo Ministério do Esporte

A Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, por intermédio da Coordenadoria de Cultura e Esporte/PROECE, obteve no dia 6 de fevereiro aprovação (Portaria no 4, de 2 de fevereiro) de projeto de esporte e lazer contemplado no Edital do Programa de Esporte e Lazer da Cidade.

O projeto, no valor de R$ 2.981.040,00 (dois milhões, novecentos e oitenta e um mil e quarenta reais) visa implantar uma política de esporte e lazer no âmbito da UFMS que contemple os nove Câmpus (Aquidauana, Chapadão do Sul, Corumbá, Coxim, Naviraí, Nova Andradina, Paranaíba, Ponta Porã e Três Lagoas) e a Cidade Universitária (Campo Grande), tendo como público-alvo crianças, adolescentes, adultos e idosos, com e sem deficiência, da comunidade interna e externa. Ainda, na maioria dos Câmpus, integra o projeto o atendimento a comunidades indígenas e comunidades tradicionais (fronteiriças e ribeirinhas) com atividades de lazer vinculadas aos diferentes interesses culturais (físicos/esportivos, artísticos, turísticos, sociais, manuais e intelectuais).

O objetivo é democratizar o acesso ao lazer recreativo, de forma a promover o desenvolvimento integral, como fator de formação da cidadania e melhoria da qualidade de vida.  No momento, o processo se encontra na etapa de interposição de recursos, com previsão da formalização do convênio a partir de março. Por sua vez, o início das atividades depende da formalização do convênio e disponibilização pelo Ministério do Esporte.

De acordo com o Chefe da Coordenadoria de Cultura e Esporte/PROECE professor Junior Vagner Pereira da Silva o projeto é o de maior captação de recursos por entidade pública federal do Mato Grosso do Sul junto ao Ministério do Esporte desde sua existência e os recursos são de grande relevância para a consolidação de uma política de esporte e lazer iniciada em 2017 no âmbito da UFMS.

“No ano passado a Coordenadoria de Cultura e Esporte não mediu esforços para implantar uma política de lazer pautada em oportunidades esportivas e artísticas fomentadas com recursos próprios (Edital Bolsa Atleta, Edital Programa de Esporte Universitário, Programa Mais Cultura e Programa Mais Cultura Interior), captação de recursos junto ao Ministério do Esporte (Programa Segundo Tempo Universitário, a ser iniciado em junho de 2018) e parcerias firmadas junto a FUNESP, de modo que atendesse tanto a comunidade da Cidade Universitária quanto dos Câmpus. Contudo, pela especificidade e exigências legais de terem acadêmicos e professores com formação em Educação Física frente às atividades esportivas, o atendimento aos Câmpus como pretendíamos não foi possível, condição que certamente, a partir da formalização do convênio e liberação dos recursos pelo Ministério do Esporte será possível, vez que o projeto aprovado prevê a contratação de dezesseis professores e oitenta e quatro acadêmicos”, explicou.

Fonte: CCE/Proece