MEC lança nova plataforma de ações em resposta à pandemia

O Ministério da Educação (MEC) lançou novo painel de monitoramento e gerenciamento de ações em resposta à pandemia de Covid-19. Trata-se de uma plataforma interativa de fornecimento de dados em tempo real, com informações específicas e gerais sobre a educação na pandemia nas instituições federais de ensino de todo o país. O lançamento do Novo Painel Coronavírus foi realizado na última quarta-feira, 5. No evento, gravado e disponibilizado pelo canal do MEC no YouTube, também foi lançado o Relatório Geral de Ações do MEC na pandemia, no período de março de 2020 a março de 2021.

Na abertura do evento, o ministro da Educação, Milton Ribeiro, falou sobre a importância de uma ferramenta que consolide e reúna as medidas tomadas pelo MEC, também como informações específicas de cada instituição federal de ensino. “Como sabemos, no Brasil, grande parte das aulas presenciais estão suspensas. Essa situação deverá seguir ritmos diferenciados em cada estado e em cada município, a depender da extensão e intensidade da pandemia. O Brasil é um país continental e, naturalmente, há diferenças de situações e de incidência da doença. O Ministério da Educação identificou os principais riscos decorrentes da suspensão das atividades presenciais e está empenhado em promover medidas urgentes para mitigar as perdas”, disse.

A nova plataforma permite o acesso a dados epidemiológicos, informações sobre protocolos de biossegurança, conteúdos sobre colação de grau antecipada, formação de professores e estudantes; além de informações específicas de cada instituição federal do país, como o calendário acadêmico; que tipo de ensino está sendo realizado, se presencial, híbrido ou remoto; e informações sobre auxílios estudantis para inclusão digital, como por exemplo, o Programa Alunos Conectados, que até o momento entregou mais 150 mil chips para que estudantes tenham acesso à internet. Como público-alvo, o painel pretende atender cidadãos em geral, gestores, a imprensa e o próprio Ministério da Educação.

A Universidade Federal de Mato Grosso do Sul aderiu no ano passado ao programa Alunos Conectados. Segundo o Relatório de Ensino Remoto de Emergência de 2020, houve a distribuição de 821 chips de celular com 20Gb de dados/mês para estudantes vulneráveis da graduação. O Auxílio Inclusão Digital contemplou 685 estudantes beneficiados em 2020.1 e, 790 estudantes beneficiados em 2020.2. O edital deste ano continua aberto e tem o objetivo de auxiliar na realização do Ensino Híbrido, por meio do Ensino Remoto de Emergência ou EaD.

A UFMS também criou o projeto Aldeias Conectadas, inédito no Brasil, para atender alunos da região de  Aquidauana. Com a iniciativa, foram instaladas três torres de radiodifusão para a transmissão de internet via rádio e dois pontos de acesso wi-fi em cada uma das aldeias Ipegue, Lagoinha, Água Branca, Bananal, Limão Verde, Colônia Nova e distrito de Taunay, contemplando mais de 200 estudantes.

De acordo com o Painel, a UFMS soma o total de 83 ações de enfrentamento à pandemia. Dentre elas, estão o apoio a campanhas de vacinação, auxílio às secretarias municipal e estadual de saúde, capacitação de profissionais, cessão de espaços, apoio em pesquisas de desenvolvimento de vacinas, distribuição de alimentos, fabricação de equipamentos de proteção individual (EPIs), produção de álcool 70% e materiais de sanitização, serviço de atendimento psicológico e realização de exames para diagnóstico de covid-19.

O secretário adjunto de Educação Superior, Tomás Sant’Ana, destacou no evento a excelência da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul na adaptação do ensino por razão da pandemia. “Nós começamos a tomar ação, e é interessante que a partir da visão de que precisaríamos de levantamento de quais universidades e instituições federais estavam em funcionamento, na segunda-feira, dia 16, nós já tínhamos essa resposta com o Painel já construído com os primeiros dados de funcionamento. Fazendo alguns destaques, naquele momento, a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul quase que imediatamente, consegue estruturar suas atividades num modo remoto, tendo as atividades teóricas à distância”, disse.

Junto à plataforma, foi publicado um relatório que reúne todas as ações do MEC diante dos desafios da educação na pandemia, que contempla o período de março de 2020 a março de 2021, assim como as articulações com o Ministério da Saúde para viabilizar a vacinação de profissionais da educação.

Dentre as ações citadas, o secretário de Educação Superior, Wagner Vilas Boas, relembrou os esforços da secretaria executiva do MEC, a fim de liberar recursos para que as instituições de educação pudessem utilizar seus laboratórios e capacidade técnica para fornecer serviços à sociedade nos momentos mais críticos da pandemia. “Nossas universidades e institutos começaram a produzir álcool em gel, que no mercado faltava, começaram a produzir testes de diagnóstico de Covid, manutenção de equipamentos e respiradores dos hospitais; foi uma série de ações e nosso painel começou a demonstrar isso, como em cada canto do nosso país, a rede de educação profissional e tecnológica e a rede de universidades federais começou a trabalhar para ajudar o país”, disse. O secretário também agradeceu aos reitores das instituições federais que colaboraram com o envio das informações necessárias para compor o painel.

O coordenador de Desenvolvimento do Projeto Painel Coronavírus, Poty Rodrigues de Lucena, no evento, fez a apresentação técnica da plataforma e falou sobre os objetivos da equipe idealizadora. “Buscamos nessa ferramenta integrar ao máximo as informações que temos disponíveis nas plataformas nacionais, mas a novidade importante é que conseguimos integrar as duas redes, a Rede de Educação Superior e Rede de Educação Científica, Tecnológica e Profissional”, afirmou.

Para acessar o Novo Painel Coronavírus, clique aqui.

 Texto: Gabriela Vilela (estagiária de Jornalismo)