Encontro discute cenário da bioeconomia em Mato Grosso do Sul

Biota MS é o primeiro programa estadual de ciência, tecnologia e inovação do Centro-Oeste

Na terça-feira (23), durante a programação da 71ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), o seminário “Bioeconomia: Novo Paradigma de Desenvolvimento para Mato Grosso do Sul – Resultados e próximos passos” abordou as pesquisas desenvolvidas na área. O seminário contou com a presença do secretário de estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck, do reitor da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), Fábio Costa, e do reitor da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Marcelo Turine.

Durante o encontro, o professor da UFMS e secretário executivo do programa de Ciência, Tecnologia e Inovação para a Biodiversidade do estado de Mato Grosso do Sul (Biota MS), Fábio Roque, explicou os objetivos e ações de conservação do programa. O Biota MS conta com pesquisadores que atuam com estudos que visam o desenvolvimento da biodiversidade do estado. Para justificar a importância do programa, o secretário executivo apresentou mapas e dados das regiões do Pantanal. “Desenvolvemos guias e matérias didáticos como uma ferramenta para oferecer turismo e comunicação para o nosso estado”.

O Biota MS é o primeiro programa estadual de ciência, tecnologia e inovação do Centro-Oeste e foi criado com a missão desenvolver uma base integrada de pesquisadores, visando o uso sustentável da biodiversidade do estado. Foram levantadas discussões sobre a conservação da biodiversidade alinhada com a produção e o desenvolvimento agrícola.

O vice-reitor da UEMS, Laércio de Carvalho, comentou sobre os avanços observados na instituição com a implantação de programas de pós-graduação. Laércio de Carvalho ressaltou que através dos programas, houve uma maior capacitação dos professores e melhoria na infraestrutura, proporcionando assim, um cenário adequado para o avanço das pesquisas sobre bioeconomia desenvolvidas na instituição.

Texto e fotos: Jhayne Lima (Estagiária de Jornalismo)