Conheça os dois novos cursos da UFMS para 2020

A partir do primeiro semestre de 2020 a UFMS inicia duas novas graduações: o bacharelado em Matemática na Cidade Universitária e Arquitetura e Urbanismo no campus de Naviraí (CPNV). As vagas serão ofertadas por meio do Sistema de Seleção Unificada (SISU), Vestibular 2020 UFMS e Passe UFMS, estes dois últimos com as inscrições já abertas até o dia 17 de novembro.

Os interessados podem se inscrever no site ingresso.ufms.br, onde estão disponíveis todas as informações sobre os processos seletivos.

Matemática

O bacharelado em Matemática tem como objetivo principal formar profissionais qualificados para a pós-graduação, visando a pesquisa e o ensino superior, ou para oportunidades de trabalho fora do ambiente acadêmico. O curso visa a uma formação ampla e diversificada, trazendo em seu currículo não apenas disciplinas da Matemática, mas também de outras áreas de aplicação.

“Dessa forma, o egresso terá plenas condições para dar continuidade aos seus estudos na pós-graduação ou para se inserir no mercado de trabalho, ocupando uma posição diferenciada, em que poderá aplicar as ferramentas matemáticas aprendidas durante o curso”, explica a coordenadora, professora Karina Miranda D’Ippólito Leite.

A graduação possui uma carga horária de 2600 horas composta por 31 disciplinas obrigatórias, 102 horas de disciplinas optativas, 62 horas de atividades complementares e 260 horas de atividades de extensão. O turno do curso é matutino e as disciplinas são distribuídas ao longo de 4 anos. Ao todo serão ofertadas 30 vagas, sendo 12 por meio do Vestibular UFMS, seis por meio do Passe UFMS e 12 por meio do SISU.

As atividades do curso serão realizadas nos ambientes do Instituto de Matemática (Inma), ao qual está vinculado. Entre as infraestruturas estão salas de aula, Laboratório de Modelagem e Análise de Dados (LAMAD), Laboratório de Computação Simbólica (LCS), Laboratório de Ensino de Matemática (LEMA), sala de Videoconferência, anfiteatros e ambientes para estudo. Além dos docentes do Inma, que conta com 39 professores, atuarão na graduação docentes também do Instituto de Física e da Faculdade de Ciências Humanas. Demais professores da UFMS poderão ainda ministrar disciplinas optativas aos acadêmicos.

Segundo a coordenadora, os campos de atuação para o bacharel em Matemática incluem setores da indústria e de serviços que requeiram conhecimentos de modelagem matemática, como agências de consultoria, bancos e mercado financeiro, seguradoras, empresas de energia e de telecomunicações, mineradoras, setor logístico e indústria do petróleo. “Trata-se de um mercado de trabalho bastante recente e a criação do curso de Matemática – Bacharelado contribuirá para a consolidação desses campos de atuação”, lembrou.

Ainda segundo a professora Karina atualmente este é o único curso de Matemática – Bacharelado do estado de Mato Grosso do Sul e sua implantação surgiu da importância da formação de matemáticos de excelência na região, futuros pesquisadores, educadores do ensino superior e profissionais dos mais variados ramos em que a Matemática é valorizada.

Arquitetura e Urbanismo

O curso de Arquitetura e Urbanismo objetiva a formação de profissionais generalistas com postura ética, visão crítica, autonomia intelectual e conhecimentos atualizados para atuar na organização do ambiente físico em correspondência com as necessidades coletivas e individuais e com os condicionamentos do ambiente natural e construído. “Os egressos devem ser capazes de exercer a cidadania, estando capacitados a cuidar do meio ambiente local, regional e global, em busca do equilíbrio do meio. Devem também estar capacitados a agir em defesa da dignidade humana em busca da igualdade de direitos, do reconhecimento e valorização das diferenças e das diversidades”, explica o diretor do CPNV, Daniel Henrique Lopes.

Ao todo serão ofertadas 50 vagas, sendo 20 por meio do Vestibular UFMS, 10 por meio do Passe UFMS e 20 por meio do SISU. A graduação possui 57 disciplinas obrigatórias, estágio obrigatório e previsão de oferta de 32 optativas, das quais os alunos devem cursar no mínimo três. Para atividades complementares estão previstas 85 horas, entre estudos independentes, presenciais ou a distância; iniciação científica; monitoria; viagens de estudo; visitas técnicas; trabalhos de conteúdos específicos, como projetos e monografias; seminários, encontros, simpósios e similares; atividades culturais; e organização de eventos.

O curso terá atividades nas salas de aula do CPNV, laboratório de informática, salas para atendimento a alunos e biblioteca. Além destes espaços, a graduação demanda também laboratórios diversos, que serão construídos com recursos vindos de emenda parlamentar de R$ 1 milhão, do deputado estadual Onevan de Matos. Inicialmente sete docentes selecionados no concurso realizado em maio de 2019 atuarão no curso. Irão ministrar aulas também os diversos professores do câmpus, das graduações em Pedagogia, Ciências Sociais e Administração.

O profissional formado nesta graduação poderá atuar na esfera de projetos, fiscalização, consultoria ou execução, bem como desenvolver atividades de planejamento e gerenciamento de atividades voltadas para a Arquitetura e Urbanismo, conforme preconiza a legislação do exercício profissional.

De acordo com o professor Daniel o curso surgiu a partir do anseio da comunidade de Naviraí e região, detectado por meio de uma pesquisa no primeiro semestre de 2012. Diversos segmentos da sociedade sugeriram a implantação de vários cursos, destacando-se a área das engenharias e construção. “Naviraí é integrante da microrregião denominada Iguatemi, que abrange 16 municípios e cuja população total é de aproximadamente 240.000 habitantes. Tendo em vista o desenvolvimento local, Naviraí tem se efetivado como importante referência para a região sul de MS nos setores econômico, administrativo, judiciário, comercial, serviços, entre outros. No que se refere à educação, também tem se desenvolvido significativamente, mas precisa avançar, sobretudo no ensino superior. Em um processo constante de ampliação e fortalecimento, desde 2009 o campus tem participado ativamente da formação inicial e continuada da comunidade. A partir de 2017, intensificou o trabalho para a implantação do Curso de Arquitetura e Urbanismo, buscando também o atendimento ao anseio por constituir-se como polo de ensino superior para toda a região”, finalizou.

 

Texto: Ariane Comineti